Redação passo a passo:

Tema: É o assunto sobre o qual se escreve, ou seja: a idéia que será defendida ao longo da dissertação

Título: É uma expressão, geralmente curta e sem verbo, colocada antes da dissertação. Se não houver verbo no título, não se usa ponto final. Não se deve pular linha depois do título. A colocação de letras maiúsculas em todas as palavras, menos artigos, preposições e conjunções, é facultativa. O título é importante para uma boa redação. Mas é também perigoso, pois o vestibulando corre o risco de dar um título que não tenha relação com o assunto do texto. Alguns professores aconselham os estudantes a titular uma redação apenas quando o vestibular o exigir

Introdução: A introdução é a informação do assunto sobre o qual a dissertação tratará. O parágrafo introdutório (apenas um) é fundamental. Precisa ser bem claro e chamar a atenção para os tópicos mais importantes do desenvolvimento

Desenvolvimento: O desenvolvimento é a redação propriamente dita. No desenvolvimento, o aluno deverá discutir os argumentos apresentados na introdução. Em cada parágrafo, escreve-se sobre um, e somente um, argumento

Conclusão: A conclusão deve ser objetiva, conter apenas 01 parágrafo e deve retomar à idéia principal, desenvolvida no texto, de forma clara e convincente. Deve conter a síntese de tudo o que foi apresentado no texto, e não somente em relação às idéias apresentadas no último parágrafo do desenvolvimento. Não é aconselhável acrescentar novas idéias no parágrafo de conclusão, uma vez que não vai haver oportunidade de explicá-las


Outras dicas para redigir um bom texto:

1) Leia atentamente o tema e o interprete, elaborando perguntas sobre o tema

2) Delimite a idéia apresentada pelo tema

3) Em uma dissertação, nada é proibido, nada é obrigatório, e tudo depende do bom senso

4) Evite repetições de sons, de palavras e de idéias: palavras terminadas em ção, são, ssão, dade, mente provocam eco na sua redação. A repetição de palavras denota vocabulário escasso. A repetição de idéias demonstra falta de cultura, de conhecimento geral. Em vez de substituir as repetições por sinônimos, reestruture o período, pois a idéia continuará sendo repetida

5) Evite o exagero de conectivos (conjunções e pronomes relativos): é importante evitar repetição e não construir períodos longos

6) Não generalize; seja específico: utilize argumentos concretos, fatos importantes. Uma redação cheia de generalizações demonstra a falta de cultura de seu autor, a falta de conhecimentos gerais, a falta de contato com a realidade atual. Para evitar esse problema, leia bastante; leia jornais, revistas, livros; assista a programas de reportagens, a filmes; interesse-se pela cultura; alimente sua inteligência

7) Não faça afirmações levianas. Exemplo: todo político é corrupto... Não é bom escrever o que não pode ser provado

8) Estruture adequadamente os períodos: períodos mal-estruturados demonstram falta de conhecimento da língua

9) Observe a pontuação

10) Não use expressões vulgares: por ser um trabalho técnico, não há espaço para vulgaridades

11) Não use linguagem figurada: todas as palavras da dissertação devem ser usadas em seu sentido exato

12) Se for usar título, faça-o por meio de expressão curta: alguns concursos vestibulares exigem título na dissertação. Se for o caso, use poucas palavras e só coloque ponto final, se usar verbo

13) Cuidado com usos de conjunções

14) Não deixe os parágrafos soltos: há de haver ligação entre eles. A ausência de elementos coesivos entre orações, períodos e parágrafos é erro grave

15) Não use as primeiras pessoas dos tempos verbais (eu, nós etc)

16) Não use palavras estrangeiras nem gírias

17) Não construa frases com duplo sentido

18) Preste atenção nas concordâncias verbal e nominal


OS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
A nota dada à redação deve obedecer aos seguintes critérios:
- adequação ao tema. A banca examinadora avalia se o vestibulando entendeu o tema proposto e redigiu um texto adequado a ele. "Fugir do assunto", como se diz na gíria estudantil, implica "nota zero";
- coerência no desenvolvimento do tema. As idéias contidas no texto devem estar interligadas de maneira lógica. O vestibulando não pode propor uma opinião no início do texto e desmenti-la no final;
- norma culta. O candidato a uma vaga nas faculdades e universidades precisa usar a língua portuguesa de maneira adequada, estruturas sintáticas (regência verbal e concordância) corretas e termos semanticamente precisos; portanto, não se deve usar uma palavra cujo sentido real você não conhece. Norma culta não quer dizer termos sofisticados, mas palavras simples e precisas no contexto da dissertação. Não pense que preciosismos (palavras complicadas) valorizam sua redação; pelo contrário, são ridículos. Em síntese, o vestibulando deve usar termos correntes com significados adequados;
- criatividade. É claro que uma abordagem original do tema valoriza seu texto. Mas, o vestibulando deve ter cuidado em não confundir criatividade com idéias esdrúxulas. Na gíria estudantil, não "viaje".
Lembre-se:
Ninguém pode exigir que você escreva bem, pois isto pressupõe talento; as faculdades querem que se escreva certo.
 
Meia dúzia de perigos (evitáveis) no seu caminho para uma boa Redação
É longo o caminho para se escrever bem, mas há um conjunto de regrinhas simples que ajudam a errar menos nessa importante atividade do vestibular.

Vejamos algumas das coisas que você pode evitar.


1. "Não sei bem o que dizer da especialização precoce dos jovens, mas a eliminação do juvenil do Corinthians foi também muito precoce no campeonato!"
Está aí um bom exemplo de bola fora. Comece sua Redação lendo com atenção todos os elementos que o examinador apresentou para você utilizar. Procure ver se realmente entendeu o que se pede. Pense num caminho, faça um esquema se preferir, e veja se você não está forçando, inventando algo fora do contexto. Sim, porque conta demais o fato de você escrever dentro ou fora do tema pedido. Já pensou se acharem que você fugiu do assunto? ...É zzzzzzzero!


2. "Esse tipo de gente merece ser exterminado"
Radical demais, não parece? É até grosseiro. Nas dissertações, como recomendação geral, evite os riscos desnecessários de posições extremistas. Vale a pena procurar desenvolver um texto equilibrado, mostrando as coisas de forma ampla e assumindo posições sem partidarismos extremos.


3. "De uma perspectiva pedagógica e heuristicamente viesada o numerário foi ínfimo."
Pois é. Veja aí que escrever com clareza é muito importante. Os outros devem entender o que você escreveu (especialmente os examinadores). Não use palavras que você acha bonitas mas não entende o que significam. Aliás, a frase acima não é apenas complexa - apesar de usar termos que existem, ela é desprovida de sentido. Um pequeno truque: procure colocar-se no lugar do leitor - ele entenderia seu argumento?


4. "Fazem muitos anos que eu queria isso. Se ela quizer deixar isso para mim fazer, a muito tempo estou afins".
Evite erros básicos (um exercício: corrija os vários erros que estão na frase entre aspas). Fuja de palavras de grafia duvidosa para você. Use só termos que você conhece. Respeite a gramática e as regras de grafia. Isso pega bem.


5. "Ele deu um pum fedido pacas. Foi aquele auê!"
Gostou disso? E o examinador também iria gostar? Hoje, a linguagem parece que "liberou geral" -- como costuma-se dizer. Será que entramos na era do vale-tudo? Cuidado! Esse território é perigoso. Sugerimos que deixe a "franqueza" vocabular para lançar alguma nova versão de "sabão crá-crá". Aí, pode deitar e rolar -- o público irá agradecer, se você for bem-sucedido. Agora, no vestibular, cuide-se. Evite grosserias na sua Redação. Não é só você que tem mãe, irmã etc. Os examinadores também têm e nem todos são apaixonados pelo "exótico".


6. Ahxxvdfjkkl ...gfgdfg 34tggg
Nem precisava ser dito, mas limpeza conta. Procure manter uma letra razoável. Nada de emporcalhar a folha. É o mínimo para seu cuidado com o conteúdo e para a qualidade do texto não desaparecer no meio de rabiscos.
Afastar pedras do caminho não constrói a boa Redação. Apenas evita que você
comprometa seu trabalho. O trabalho de
formular um bom texto também tem suas regras, mas esse é outro problema...

 
Inspire, Transpire e Escreva ( TEMAS SUGESTIVOS )
 
“Não há necessidade de se instituir a pena de morte. Ela já existe.” (Cabo Bruno – Folha de S. Paulo)
 
 É difícil defender,
só com palavras, a vida
[João Cabral de Melo Neto]
 
Pessoas idosas sinônimo de: vida, dignidade e esperança.
Rua e Escola: caminhos de vida
O Brasil e a globalização: um ganhador ou um perdedor?
Biodiversidade brasileira, ainda uma ilustre desconhecida.
O Brasil abriga de 10% a 20% das espécies do planeta; está entre os 15 países megadiversos; ocupa o primeiro lugar em espécies conhecidas de mamíferos, peixes de água doce e plantas superiores; fica em segundo lugar em anfíbios, terceiro em aves, quinto em répteis e ainda figura entre os cinco países com maior número de espécies endêmicas, ou seja, que existem apenas em território brasileiro. No entanto, todos esses “rankings” baseiam-se num conhecimento parcial, e ainda bem precário, da biodiversidade brasileira. (...)
E só descrever as espécies não basta. Para tomar estratégias adequadas de conservação e assegurar um patrimônio tão invejável é preciso saber como cada espécie se insere na cadeia alimentar, quais as condições ambientais necessárias para sua sobrevivência, quais os impactos de atividades humanas sobre elas e como podem ser exploradas racionalmente.
O Estado de S. Paulo, 3 de setembro de 2002.
Qual deve ser a política brasileira para preservar essas riquezas?
Justiça x corrupção qual a saída?
Ecumenismo caminho para paz.